q6prmv.md.png
domingo, abril 11, 2021
q6prmv.md.png
InícioAssuntos VariadosModelos de resgate de bilhetes com milhas

Modelos de resgate de bilhetes com milhas

Nessa semana que passou, foi noticiado que tanto a ANA All Nippon Airways como a JAL Japan Airlines terão voos regulares ligando Tóquio a Vladivostok. A notícia em si é interessante pela coincidência do anúncio de duas companhias rivais e também pela rota “exótica”.

Entretanto, há um viés ainda mais interessante na história e ele tem relação direta com os modelos de resgate de bilhetes com milhas que os programas trabalham.

Vamos dar uma olhada no mapa:

Vladivostok é uma cidade no leste da Rússia, quase na fronteira com a Coreia do Norte e com a China. Tóquio, por sua vez, é a capital do Japão, país asiático.

Seguindo o modelo de resgate por regiões – adotado pelo AAdvantage para as parceiras, por exemplo – a Rússia fica na Europa, sem exceções.

Esse modelo apresenta uma tabela fixa, exigindo uma quantidade invariável de milhas para viagens entre as regiões A e B, independentemente de onde ficam os pontos de origem e destino entre essas regiões.

Assim, teoricamente, eu poderia resgatar um bilhete do Rio para Vladivostok em classe executiva por 87.500 milhas AAdvantage. Eu poderia chegar lá em 3 voos, percorrendo pouco mais de 11.000 milhas:

  1. Rio – Londres (British Airways)
  2. Londres – Moscou (British Airways)
  3. Moscou – Vladivostok (S7 – empresa russa membro da Oneworld que opera majoritariamente voos domésticos)

Eu até tentei cotar online – descobri que é possível resgatar bilhetes da S7 no site do AAdvantage (oh, LATAM, onde estás?) – mas não consegui.

Mas o fato é que, de acordo com as regras do AAdvantage, eu poderia percorrer essas 11.000 milhas em classe executiva por 87.500 milhas.

Agora, para ir de Vladivostok para Tóquio, seguindo o modelo de resgate por regiões com tabela fixa, eu estaria indo da Europa para a Ásia 1 (Japão e Coreia do Norte). Para fazer esse voo de 686 milhas na classe executiva da JAL, eu gastaria 70.000 milhas AAdvantage!

Percebem como, nesse caso, esse modelo não faz o menor sentido?

Logo, neste tipo de situação, o mais razoável seria o modelo de resgate por distância – ou faixas de distância – como faz o British Airways Executive Club, por exemplo. O Smiles aplica a mesma lógica para voos da Qatar Airways e a Korean Air, apesar de não divulgar publicamente as faixas de distância utilizadas.

Esse modelo é extremamente desvantajoso para resgates de longa distância, por óbvio. O BAEC, por exemplo, no seu mais recente reajuste, inflacionou muito mais os valores para os trechos mais curtos, que eram o sweet spot do programa, e aumentou marginalmente os resgates para voos mais longos.

Entretanto, a indústria dos programas de milhas está caminhando para o modelo de resgate com tabela flutuante e suas derivações, como a tabela flexível, cunhada pelo TAP Miles&GO.

O modelo de resgate com tabela flutuante tem como base o valor em dinheiro do bilhete resgatado, com influência da época do ano, da distância, de eventuais promoções e das variações do mercado.

Neste modelo, não há um patamar mínimo ou máximo – é só verificar a quantidade de pontos que o LATAM Fidelidade cobra em voos LATAM, por exemplo.

Já o modelo de tabela flexível, nos termos em que foi idealizado pelo Miles&GO, também tem influência do valor monetário do bilhete, mas conta com um piso e um teto. Ou seja, a variação é restrita em patamares pré-estabelecidos pelo programa.

Uma situação muito comum nesse tipo de modelo é que a quantidade de milhas necessárias para a emissão de bilhetes em cabines premium é exponencialmente maior do que para bilhetes em classe econômica, podendo variar em 200%, 300%, 400% – o céu é o limite.

Novamente, é possível trazer o exemplo do LATAM Fidelidade em voos LATAM. É fácil encontrar bilhetes para a Europa em econômica por 40.000 pontos o trecho. Já em business esse valor é 3, 4, 5 vezes maior.

Já no modelo de resgate por regiões, que é regido por tabela fixa, me parece que essa discrepância não é tão acentuada. No AAdvantage, o trecho Brasil – Europa em econômica é 50.000 milhas. Em executiva, como mencionei acima, são 87.500 milhas – cerca de 72% a mais. Nunca vi uma business sair por 4 ou 5 vezes o preço da econômica, mas não tenho dados de outros programas que adotam o mesmo modelo para fazer uma afirmação peremptória.

Todos os modelos apresentados têm suas vantagens e desvantagens, dependendo do tipo de bilhete que se quer emitir.

Eu particularmente prefiro o modelo de resgate por regiões com tabela fixa, pois eu consigo planejar com mais eficiência e segurança. Saber de antemão a quantidade de milhas necessárias facilita demais a organização da viagem, especialmente quando envolve diversos trechos e bilhetes. Entretanto, geralmente é preferível emitir trechos curtos no modelo de resgate por distância.

De qualquer modo, é sempre bom conferir o preço da passagem paga, principalmente quando se trata de classe econômica. Às vezes, na ponta do lápis, é melhor pagar do que usar as milhas.

Faltou algum modelo? Qual modelo de resgate que vocês preferem e em que casos?

RELATED ARTICLES

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Most Popular

Recent Comments

Viajante Pobretão Jr. on Tóquio estuda novo estado de emergência
Paulo André Metchko on Itaucard Pão de Açúcar Platinum
Felipe Oliveira Silva on Itaucard Pão de Açúcar Platinum
disqus_OagBp1mexo on O Santander não se emenda …
Beatriz Roland on O Santander não se emenda …
Beatriz Roland on O Santander não se emenda …
Beatriz Roland on O Santander não se emenda …
Emanuel Soares on O Santander não se emenda …
Beatriz Roland on O Santander não se emenda …
Beatriz Roland on O Santander não se emenda …
Mário Sérgio Oliveira on O Santander não se emenda …
Adalberto Moscal on O Santander não se emenda …
Robson Pereira on O Santander não se emenda …
lissandro dauer on O Santander não se emenda …
Mário Sérgio Oliveira on O Santander não se emenda …
ronald william on O Santander não se emenda …
Evandro Sperandio on O Santander não se emenda …
Thiago Soares Correia on O Santander não se emenda …
Gilberto Carmona on O Santander não se emenda …
Henrique P. P. on O Santander não se emenda …
Cinthia Rangel on O Santander não se emenda …
Raimundo Almeida Júnior on A Avianca é a nova parceira Smiles?
luiz paulo alencar on As Viagens Inusitadas da Minha Vida
Afonso De Oliveira Barros on As Viagens Inusitadas da Minha Vida
Quero Viajar na Faixa on As Viagens Inusitadas da Minha Vida
Raimundo Almeida Júnior on Accor amplia o portfólio de hotéis do grupo
Raimundo Almeida Júnior on Smiles: Viaje Fácil com 75% de desconto
Deyvisson F. R. Almeida on Como a COVID-19 afetou suas viagens?
Raimundo Almeida Júnior on Como a COVID-19 afetou suas viagens?
Raimundo Almeida Júnior on Como a COVID-19 afetou suas viagens?
Guilherme Marchese on Como a COVID-19 afetou suas viagens?
Guilherme Marchese on Como a COVID-19 afetou suas viagens?
Deyvisson F. R. Almeida on Como a COVID-19 afetou suas viagens?
Deyvisson F. R. Almeida on Como a COVID-19 afetou suas viagens?
Raimundo Almeida Júnior on Qatar Airways sem primeira classe até 2021
Raimundo Almeida Júnior on Qatar Airways sem primeira classe até 2021
Marry manuelli paes de farias on Reserva Cool orienta clientes a pedir chargeback
Vanessa de Carvalho Dias on Como a pandemia afetou minhas viagens
Vanessa de Carvalho Dias on Como a pandemia afetou minhas viagens
Deyvisson F. R. Almeida on Como a pandemia afetou minhas viagens
Paulo André Metchko on Itaucard Pão de Açúcar Platinum
Tiago Luiz Martins S Costa on Reserva Cool orienta clientes a pedir chargeback
Luiz Henrique Moraes Barros Ca on Problemas com os cartões Santander AAdvantage
Leonardo Tito Preza Figueiró on Problemas com os cartões Santander AAdvantage
Leandro Esteves on E agora, clientes LATAM Pass?
Ronaldo Azevedo on E agora, clientes LATAM Pass?
Ronaldo Azevedo on E agora, clientes LATAM Pass?
Rodrigo Guimaraes on E agora, clientes LATAM Pass?
Luis Ghivelder on E agora, clientes LATAM Pass?
Rodolfo França on E agora, clientes LATAM Pass?
André Ferreira on E agora, clientes LATAM Pass?
Gustavo Botelho on E agora, clientes LATAM Pass?
Gustavo Botelho on E agora, clientes LATAM Pass?
Beatriz Roland on E agora, clientes LATAM Pass?
Renan Augusto Arboleda on E agora, clientes LATAM Pass?
Raimundo Almeida Júnior on Smiles: 70% de desconto na compra de milhas
Denilson Vargas Lima Junior on Os recentes erros de pesquisa no site do Smiles
Thiago Soares Correia on LATAM Pass atualiza o seu programa
Mauricio Laukenickas on LATAM Pass atualiza o seu programa
Leonardo Tito Preza Figueiró on Itaucard Pão de Açúcar Platinum
Antagonista Caratinguense on Itaucard Pão de Açúcar Platinum
Renan Augusto Arboleda on Itaucard Pão de Açúcar Platinum
Antonio Carlos Oliveira Junior on GOL: um voo diferente na ponte aérea
Renan Augusto Arboleda on GOL: um voo diferente na ponte aérea
Eduardo Caldeira Meira on GOL: um voo diferente na ponte aérea
Ricardo Baccarelli Carvalho on GOL oferece milhas bônus em atraso de voo
Esron Anibal Freitas da Rosa on O programa Accor Live Limitless está no ar
Esron Anibal Freitas da Rosa on O programa Accor Live Limitless está no ar
Paulo Henrique Werly Gualberto on O programa Accor Live Limitless está no ar
Paulo Henrique Werly Gualberto on O programa Accor Live Limitless está no ar
Sílvio Carneiro on A GOL vai incorporar a Smiles
Vanessa de Carvalho Dias on A GOL vai incorporar a Smiles
Daniel Gadelha on A GOL vai incorporar a Smiles
Luiz Rodrigues on A GOL vai incorporar a Smiles
Henrique P. P. on A GOL vai incorporar a Smiles
Daniel Gadelha on Uma pausa necessária …
Sílvio Carneiro on Uma pausa necessária …
Vanessa de Carvalho Dias on Uma pausa necessária …
Luiz Carlos Costa on Uma pausa necessária …
Carlos Certório on Uma pausa necessária …
Luiz Rodrigues on Uma pausa necessária …
Wanderley Campos on Uma pausa necessária …
Dott. Macchia on Uma pausa necessária …
Beto Junior on Uma pausa necessária …
Anna Paula David on Uma pausa necessária …
Fabio Henrique on Uma pausa necessária …
Henrique P. P. on Uma pausa necessária …
Jorge Brito on Uma pausa necessária …
SirNiXXon on Uma pausa nec