q6prmv.md.png
segunda-feira, abril 12, 2021
q6prmv.md.png
InícioProgramas de FidelidadeOutros ProgramasQual é o melhor programa da Oneworld para brasileiros?

Qual é o melhor programa da Oneworld para brasileiros?

Com as mudanças no LATAM Fidelidade, muitos leitores estão buscando alternativas para terem status com outras companhias aéreas da Oneworld. A aliança é pequena comparada com a Star Alliance e com o Skyteam, o que dificulta bastante a escolha.

Além disso, há programas que são absolutamente inviáveis para brasileiros como o Marco Polo Club (Cathay Pacific), o JAL Mileage Bank, o Finnair Plus, o Royal Plus da Royal Jordanian e o Privilege Club da Qatar por motivos diversos.

O Qantas Frequent Flyer é ótimo para alcançar status, mas exige um mínimo de 4 trechos voados com a companhia ou por ela comercializados. Fica difícil ir todo ano à Austrália para ser cliente elite com a companhia (pelo menos para mim).

O BAEC e o Iberia Plus têm requisitos muito rigorosos para conseguir status. No BAEC, por exemplo, são necessários 4 voos ida e volta na premium economy entre Rio e Londres para conseguir ser Silver, que é Oneworld Sapphire. O custo seria de R$ 20.000,00/ano. Para ser Emerald, é necessário gastar R$ 50.000,00 em 10 voos ida e volta na premium economy entre Brasil e Londres.

Sobra  o AAdvantage.

O AAdvantage eu já expliquei extensivamente em um tutorial de 7 posts (clique aqui para acessar). Mas resumidamente, vou falar do Sapphire e Emerald com o AAdvantage.

Em primeiro lugar é importante falar que é mais vantajoso voar com as parceiras – com elas o gasto mínimo (EQD – elite qualifying dollars)  é com base em um percentual sobre a  distância voada. Voando AA, é o valor da tarifa em dólares. A

Assim, se você voa para Miami ao custo de USD 1.250 (sem taxas ou qualquer outro valor incidental), você consegue exatos 1.250 EQDs.

AAdvantage Platinum (OW Sapphire) – equivale ao LATAM Platinum

Gasto mínimo de USD 6.000 + 50.000 milhas voadas.

Uma ida e volta do Rio para Londres na BA dá cerca de 11.400 milhas por um preço médio de R$ 5.000,00 ida e volta (o que equivale a, aproximadamente, USD 1.250). Voando em premium economy/business isso dá USD 2.280 dólares qualificáveis + 17.100 milhas percorridas. Logo, são necessárias 3 viagens para a qualificação, ao custo de R$ 15.000,00/ano.

Observem a discrepância dos EQDs auferidos voano AA ou B com o mesmo valor gasto – USD 1.250. Na BA, você consegue 1.000 EQDs a mais.

AAdvantage Executive Platinum (OW Emerald) – equivale ao LATAM Black e Black Signature.

Gasto mínimo de USD 12.000 + 100.000 milhas voadas.

São as mesmas considerações acima, só que em dobro: 6 viagens Rio – Londres ida e volta na premium economy da BA, ao custo total de R$ 30.000,00 ano.

Considerações

É barato? Longe disso, mas é mais barato do que voar LATAM, que ainda exige – sem qualquer parâmetro de razoabilidade, a meu sentir – uma quantidade absurda de trechos voados ou comercializados com a empresa.

Mas é necessário fazer uma observação fundamental: das três legacy carriers americanas, somente a AA exige EQDs mínimos de residentes fora dos Estados Unidos.

Se o seu objetivo é ter status com qualquer aliança, é possível filiar-se ao Mileage Plus da United, que segue a mesmíssima lógica do AAdvantage – EQDs via parceiras de acordo com a distância voada, e trocar as companhias Oneworld pela Star Alliance. Com 50.000 milhas já é possível ter o status Gold do Mileage Plus, que equivale ao Gold da Star Alliance, o nível de status mais alto da aliança. Mas tem a exigência de 4 trechos voados com a United ao ano, sendo que os voos em tarifa basic economy não contam (obrigada, Denis, pela informação!).

Quanto à Oneworld, o AAdvantage é, ao meu ver, a alternativa mais viável para nós, brasileiros. Não vou fazer uma análise mais profunda da Star Alliance porque estou esperando as mudanças do Amigo. Mas eu recomendo a leitura do post em que analiso Asiana Club (clique aqui para acessar).

OBS. O leitor Guilherme P. teceu considerações sobre o Privilege Club da Qatar, mas há o requisito de um mínimo de 4 trechos voados/ano para qualificar para status. Vou estudar mais a fundo o programa hoje e amanhã baixo um post exclusivo sobre ele, caso ele seja realmente vantajoso.

 

RELATED ARTICLES

26 COMENTÁRIOS

  1. Beatriz, como muitos dos seus leitores, passei um bom tempo, ontem, tentando achar uma alternativa para atingir status na OW em outras cias. Você menciona que o Privilege Club, da Qatar, não seria uma alternativa. Poderia nos dizer o porque? Observei algumas coisas que podem ser interessantes:

    1. o conceito de Qpoints, utilizado para obtenção de status, pode parecer complexo. Mas, no geral, nas tarifas básicas da Latam (X/S) para vôos domésticos, cada trecho SDU/CGH, por exemplo, daria 5 Qpoints. Seriam necessários 30 trechos para o Silver (Ruby na OW), 60 para Gold (Sapphire) e 120 para o Platinum (Emerald);

    2. em tarifas mais caras (L, por exemplo), que dão 7 Qpoints no mesmo trecho, seriam necessários 22 trechos para o Silver (Ruby na OW), 43 para Gold (Sapphire) e 86 para o Platinum (Emerald);

    3. a maioria das tarifas padrão da Latam tem um acúmulo razoável de milhas, entre 50% e 75%, sendo baseado na distância;

    4. falta avaliar o custo de resgates, para saber se as milhas não ficariam perdidas por lá. Imagino que você já tenha feito esta análise.

    Espero ter contribuído com a discussão! Keep on the good work!

  2. O único ponto que eu tenho negativo do AA eh o acesso pros flagship lounge.
    Tanto que quem acompanha o OMAAT vê que eles têm status na LATAM, se você está numa viagem interna nos USA você não tem acesso sendo AA, mas outras tem.( lógico que a United eh pior ainda, já que status não garante acesso nos melhores lounges) e tem muito gente que fica um tempo fora e acaba fazendo um viagem interna separado, esse ano eu não poderia acessar a flagship bridge, pois meu voo era só até Miami e não estava na escala pra voo internacional.
    Fiquei curioso sobre a Qatar, ainda mais tendo esse trechos até EZE, que eh uma viagem simples.
    E também queria saber se ela vale a pena, nas milhas acumuladas por voo. Que se não me engano é pior que outros programas da OW.

  3. Posso estar enganado mas acho que pra status no AAdvantage também é necessário pelo menos 4 voos puros. Na época que fui Platinum era exigido. Creio que permanece.

  4. E qual a grande vantagem de ter status na OW? Viajo somente em Business Class na OW, Star Alliance, SkyTeam, sempre pagando com milhas … me parece mais fácil obter milhas do que viajar somente para obter status … talvez a única vantagem que tenho observado é não ter que pagar por malas despachadas nos voos nacionais … mas mesmo assim considero mais barato pagar pelo despacho … PS: viajo somente por prazer e raramente a serviço … entendo que a situação de outros poderá ser diferente …

      • Foi mal, Beatriz.
        O voo será em econômica tarifa U. Comprei ontem por 2.100 reais com esticada em Madrid. Tá mais barato do que alugar uma casa por 3 dias em Búzios….

        Tenho AAdvantage, Smiles, Lifemiles e Multiplus/LATAM.

        Olhei o site que vc indicou e parece que pela tosquice da tarifa só pelo programa da Turkish,né?…..rsrrsrsr.

        Gostaria de uma opinião de um programa pra ficar juntando as milhas como faço, por exemplo, com voos da Latam e da aliança deles em que jogo tudo no AAdvantage.

        Seria o da United uma alternativa?

        Abs.

  5. Oi Beatriz,

    De fato ficou mais difícil qualificar, no intuito de colaborar verifiquei a seguinte rota: GRU-JNB-GRU Z gera 9240 EQM e 1848EQD ao custo de 1.221usd, seguindo do trecho JNB-HKG-SYD-HKG-JNB CX PE gerando 33.666 EQD 4488EQM ao custo de 1618USD, qualificando no total 42906EQM e 6336EQD, em grande medida, a qualificação fica onerosa por conta das altas do Dollar e do barril de petróleo.

  6. Estou pensando seriamente em pontuar meus vôos nacionais na Ibéria. O Platinum (Sapphire) deles pede 2250 pontos ou 50 seguimentos, sendo que apenas 1 voo desses tem que ser voado com a Ibéria. Já o nível mais alto (Emerald) são 12.500 pontos elite, acumuláveis em 2 anos, sem exigencia de voos na IB. Do que vi na OW, me parece a melhor opção.

  7. Boa tarde Beatriz
    Faço normalmente 6 viagens ao ano para Miami a trabalho sempre em econômica, sou platinum na latam pois no momento era a mais facil para conseguir o status com 40k milhas. Pode me indicar qual seria uma outra opção de programa de fidelidade na OW que poderia conseguir manter status com minhas restrições?

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Most Popular

Recent Comments

Viajante Pobretão Jr. on Tóquio estuda novo estado de emergência
Paulo André Metchko on Itaucard Pão de Açúcar Platinum
Felipe Oliveira Silva on Itaucard Pão de Açúcar Platinum
disqus_OagBp1mexo on O Santander não se emenda …
Beatriz Roland on O Santander não se emenda …
Beatriz Roland on O Santander não se emenda …
Beatriz Roland on O Santander não se emenda …
Emanuel Soares on O Santander não se emenda …
Beatriz Roland on O Santander não se emenda …
Beatriz Roland on O Santander não se emenda …
Mário Sérgio Oliveira on O Santander não se emenda …
Adalberto Moscal on O Santander não se emenda …
Robson Pereira on O Santander não se emenda …
lissandro dauer on O Santander não se emenda …
Mário Sérgio Oliveira on O Santander não se emenda …
ronald william on O Santander não se emenda …
Evandro Sperandio on O Santander não se emenda …
Thiago Soares Correia on O Santander não se emenda …
Gilberto Carmona on O Santander não se emenda …
Henrique P. P. on O Santander não se emenda …
Cinthia Rangel on O Santander não se emenda …
Raimundo Almeida Júnior on A Avianca é a nova parceira Smiles?
luiz paulo alencar on As Viagens Inusitadas da Minha Vida
Afonso De Oliveira Barros on As Viagens Inusitadas da Minha Vida
Quero Viajar na Faixa on As Viagens Inusitadas da Minha Vida
Raimundo Almeida Júnior on Accor amplia o portfólio de hotéis do grupo
Raimundo Almeida Júnior on Smiles: Viaje Fácil com 75% de desconto
Deyvisson F. R. Almeida on Como a COVID-19 afetou suas viagens?
Raimundo Almeida Júnior on Como a COVID-19 afetou suas viagens?
Raimundo Almeida Júnior on Como a COVID-19 afetou suas viagens?
Guilherme Marchese on Como a COVID-19 afetou suas viagens?
Guilherme Marchese on Como a COVID-19 afetou suas viagens?
Deyvisson F. R. Almeida on Como a COVID-19 afetou suas viagens?
Deyvisson F. R. Almeida on Como a COVID-19 afetou suas viagens?
Raimundo Almeida Júnior on Qatar Airways sem primeira classe até 2021
Raimundo Almeida Júnior on Qatar Airways sem primeira classe até 2021
Marry manuelli paes de farias on Reserva Cool orienta clientes a pedir chargeback
Vanessa de Carvalho Dias on Como a pandemia afetou minhas viagens
Vanessa de Carvalho Dias on Como a pandemia afetou minhas viagens
Deyvisson F. R. Almeida on Como a pandemia afetou minhas viagens
Paulo André Metchko on Itaucard Pão de Açúcar Platinum
Tiago Luiz Martins S Costa on Reserva Cool orienta clientes a pedir chargeback
Luiz Henrique Moraes Barros Ca on Problemas com os cartões Santander AAdvantage
Leonardo Tito Preza Figueiró on Problemas com os cartões Santander AAdvantage
Leandro Esteves on E agora, clientes LATAM Pass?
Ronaldo Azevedo on E agora, clientes LATAM Pass?
Ronaldo Azevedo on E agora, clientes LATAM Pass?
Rodrigo Guimaraes on E agora, clientes LATAM Pass?
Luis Ghivelder on E agora, clientes LATAM Pass?
Rodolfo França on E agora, clientes LATAM Pass?
André Ferreira on E agora, clientes LATAM Pass?
Gustavo Botelho on E agora, clientes LATAM Pass?
Gustavo Botelho on E agora, clientes LATAM Pass?
Beatriz Roland on E agora, clientes LATAM Pass?
Renan Augusto Arboleda on E agora, clientes LATAM Pass?
Raimundo Almeida Júnior on Smiles: 70% de desconto na compra de milhas
Denilson Vargas Lima Junior on Os recentes erros de pesquisa no site do Smiles
Thiago Soares Correia on LATAM Pass atualiza o seu programa
Mauricio Laukenickas on LATAM Pass atualiza o seu programa
Leonardo Tito Preza Figueiró on Itaucard Pão de Açúcar Platinum
Antagonista Caratinguense on Itaucard Pão de Açúcar Platinum
Renan Augusto Arboleda on Itaucard Pão de Açúcar Platinum
Antonio Carlos Oliveira Junior on GOL: um voo diferente na ponte aérea
Renan Augusto Arboleda on GOL: um voo diferente na ponte aérea
Eduardo Caldeira Meira on GOL: um voo diferente na ponte aérea
Ricardo Baccarelli Carvalho on GOL oferece milhas bônus em atraso de voo
Esron Anibal Freitas da Rosa on O programa Accor Live Limitless está no ar
Esron Anibal Freitas da Rosa on O programa Accor Live Limitless está no ar