q6prmv.md.png
domingo, junho 20, 2021
q6prmv.md.png
InícioProgramas de FidelidadeA tabela flutuante de resgates está matando o Smiles (e vai matar...

A tabela flutuante de resgates está matando o Smiles (e vai matar o Amigo)

Há alguns poucos anos, o Smiles migrou da tabela fixa de resgates para a tabela flutuante. A consequência foi um aumento acentuado na quantidade de milhas necessárias para o resgate de bilhetes. Além disso, as constantes promoções bonificadas pioraram ainda mais a situação, inflacionando os valores de resgate.

Há clientes com mais de uma centena de milhas que não conseguem resgatar uma passagem de ida e volta em econômica para a Europa. Para voar em econômica, ao invés das 35.000 milhas da Alitalia de outrora, hoje temos trechos oferecidos por 80.000 milhas por outras companhias! (Aliás, a Alitalia sumiu do resultado da procura no site). A KLM e TAP exigiam algo em torno das 40.000 milhas por trecho até 2 anos atrás e hoje o custo dobrou.

Já o valor da executiva varia entre 120.000 e 180.000  por trecho dependendo da companhia.

A quantidade de milhas cobradoa para emissão na Air France, por exemplo, chega a ser um escândalo:

Uma alternativa posta a serviço do cliente, o milhas + dinheiro, poderia amenizar o impacto da inflação nos resgates. Todavia, não precisa ser um gênio da matemática para ver que essa conta das milhas + dinheiro não fecha.

Vamos lá: na econômica de São Paulo para Amsterdam na Air France, pagando R$ 2.600,00 + 24.000 milhas eu consigo emitir um único trecho. A ida e volta me custariam R$ 5.200,00 + 48.000 milhas. Comprando a milha em uma promoção bonificada por R$ 0,023, as minhas 48.000 milhas saem por R$ 1.104,00. Ou seja,  emitir ida e volta São Paulo Amsterdam em econômica pela Air France com milhas + pontos, custa a bagatela de R$ 6.304,00! Ainda que eu transfira os pontos do cartão, são R$ 5.600,00 por uma passagem em econômica.  Por menos de R$ 3.000,00 reais, e possível comprar uma passagem e acumular milhas.

O mesmo raciocínio se aplica à executiva. R$ 8.600,00 + 80.000 pontos (cerca de R$ 1.840,00) é bem mais do que se pagaria por uma passagem na própria Air France acumulando milhas em dobro. Não faz o menor sentido.

O Amigo tomou a mesma medida a partir do dia 1o de agosto e adotou a tabela flutuante. No momento, há bons resgates em econômica. É possível conseguir trechos nacionais por 4.000 milhas e para Santiago por 8.000 milhas. Mas temo que esses valores não vão se sustentar por muito tempo.

Atualmente, a tabela fixa da LATAM para resgates nas parceiras está mais vantajosa, se comparada com o Smiles.

Para a Europa, são 40.000 pontos o trecho para voar com a British ou Iberia, totalizando 80.000 ida e volta. Na executiva, são 100.000 pontos o trecho. Para a América do Norte, o valor é ótimo: são 35.000 pontos para voar com a American Airlines em econômica e 75.000 em executiva, na boa cabine da empresa americana. Em contrapartida, a Multiplus oferece o bônus máximo de 60% nas transferências de cartão de crédito e para a compra de pontos.

Vamos imaginar o cenário de um cliente que tem 100.000 pontos no cartão.
Transferência para o Multiplus com 60% de bônus - total = 160.000 pontos.

Resgate em econômica: é possível comprar 2 passagens em econômica ida e volta (80.000 pontos cada) para a Europa para voar British ou Iberia, ou para os EUA/Canadá (70.000 pontos cada)  para voar pela American Airlines.

Resgate em executiva: é possível emitir uma passagem em executiva para a Europa (160.000 pontos) ou para os EUA/Canadá (150.000 pontos)

Transferência para o Smiles com 150% de bônus - total = 250.000 milhas.

Resgate em econômica: só é possível um único bilhete de ida e volta para a Europa, ao custo de 160.000 milhas.

Resgate em executiva: só é possível o resgate de um bilhete ida e volta em executiva com a TAP (240.000 milhas no total), já que a KLM exige 360.000 milhas e a Air France, incríveis 400.000 milhas.

O Smiles vem promovendo uma ilusão quanto às milhas. Psicologicamente funciona: o cliente fica satisfeito por ter centenas de milhares de milhas. Entretanto, a matemática não perdoa – o programa piorou muito nesse aspecto. Não adianta ter muitas milhas e não poder gastá-las.

Para piorar a situação, hoje em dia está impossível achar disponibilidade nos voos da Qatar vindo ou saindo do Brasil.

É uma pena, pois em termos de TI e assistência do call center, o Smiles é muito superior aos concorrentes Multiplus e Amigo. A procura por bilhetes prêmio no site pode ser melhorada, mas é algo menor comparado às vantagens digitais do programa. Mas repito: ter muitas milhas e não conseguir gastá-las a contento só leva à frustração do cliente. E cliente frustrado nunca é bom para a empresa.

 

RELATED ARTICLES

92 COMENTÁRIOS

  1. Bons tempos em que eu consegui resgatar I/V na executiva da AIR France por 105K e são só três anos atrás. Hoje nem dá para uma perna. Sou hoje Diamante e ainda sou do Clube Smiles e em breve sairei deste último. Não há praticamente disponibilidade de voos pela Alitalia e cheguei a voar na executiva por 170k há pouco mais de um ano atrás para Roma, indo e voltando . Quanto à executiva da AA, peguei um retorno de NY e era um 767, não era uma maravilha, mas atendeu bem. A sala VIP do JFK é que era ruim. Só gosto da GOL para voos nacionais porque tem um pouco mais de conforto e oferta de voos, mas ainda sim ela é ruim. A Avianca mal tem opções e a TAM é só no estado de pioria contínua.

  2. Em primeiro lugar, parabens pelas análises no site. Conheço a pouco tempo e agora sou leitor assíduo.
    Não entendi bem a “tabela fixa” da Latam. Eu emiti em econômica do Rio a Paris, uma perna, por 75k milhas (voo da propria Latam). Isso foi para vespera do Natal, então achei até razoavel, mas não vejo aonde a tabela seja fixa. A volta eu consegui na Alitalia por 40k. Apareceu no Smiles só por algumas horas e depois sumiu, mas eu consegui emitir.
    Quanto ao Smiles, esta bem ruim sim, mas em alguns casos compensa. Estou pesquisando Londres-Kathmandu e consigo pela Ethiad via Smiles por 85k milhas ida e volta. Multiplus, Amigo ou Victoria são todos bem mais caros.

  3. Esse foi um dos motivos que desisti de enviar pontos dos cartões pra lá…infelizmente muitas pessoas por falta de informação acabam vendo a propaganda de bônus 100% semana sim e semana não…e acabam correndo o risco de fazer péssimo negócio…acredito que hoje dos programas brasileiros o menos pior seria o Multiplus na questão de resgate em parceiros e na própria latam onde com antecedência consegue se achar os valores mínimos para resgate…so falta terem uma t.i melhor pra melhorar o site e tirar a emissão em parceiras do call Center principalmente para os estados unidos já que para Europa até é possível achar pelas parceiras via site…

    • Concordo, Rodolfo: o site (TI) e o call center precisam melhorar muito no LATAM Fidelidade. E vamos acabar com o Multiplus de intermediário para resgate/emissão, né?

      • Exato..vamos ver se unificam latam fidelidade..pass…Multiplus..,As vezes penso que o fato de resgate de algumas parceiras ser via call Center (não somente na latam)é só para criar uma dificuldade e assim falar que sempre tem disponibilidade em parceiros e se fosse acessível via site sem dúvida todo mundo iria preferir resgate das parceiras do que latam fazendo acontecer o que acontece hoje no Smiles onde rapidamente some as disponibilidades com valor baixo em parceiras quando fazem alguma promoção..

          • Costumo usar o executive club da british quando encontro um vôo da Ibéria/british por exemplo encontro tb no Multiplus via site,se for voo para estados unidos se achar vôos pela American airlines tem que ligar no call Center com as datas , origem..destino..horário de voô..número do voo…e quem sabe se pegar um bom atendente conseguir emitir..kkkk

          • Ops coloquei a reposta no lugar errado..kkkk..
            Bom concordo a Gol tem poucos vôos internacionais infelizmente mas acredito que se fizessem parte da skyteam provavelmente teria mais disponibilidade de resgate em parceiras da aliança… afinal acredito que seus parceiros devem limitar a quantidade de resgate da Gol…

  4. Oi Beatriz, comentamos em outra oportunidade sobre essa inflação nos pontos smiles.
    É uma pena.
    Outro ponto que demonstra claramente esse efeito é a redução drástica da quantidade de empresa parceira para gastar os pontos que os clientes acumulam. Encontrávamos grandes lojas do varejo e hoje as opções são bem restritas. Ou seja, essa inflação nem foi só para os resgates de passagem..foi generalizada.

    Comecei o acúmulo de ponto consistente há uns 2 anos. Apostei e concentrei tudo na smiles. Hoje vejo que errei. E errei justamente pela ilusão de parecer ser mais fácil acumular smiles que multiplus, tendo em vista que até abastecer gerava smiles (antigo premmia).

    Ficamos felizes quando surge uma promocão GIG – Montevideu por 16k I/V. Sendo que justamente em 2014 era possível emitir o mesmo trecho por 8k I/V. Pagando metade pelo dobro. É triste. Mudando a direção dos acúmulos e torcer para que a LATAM mantenha a política.

    • Oi Gláucia, bem vinda ao Milhas e Destinos. Esses programas são muito voláteis. Há pouco tempo o Smiles estava melhor, hoje eu acho que o LATAM Fidelidade está melhor (menos pior).

  5. Prezada Beatriz,

    Infelizmente, o “buraco” é mais embaixo:

    (a) Simultânea e curiosamente mente ao aumento das tabelas, alguns “blogs” insistem em divulgar que o SMILES tem “oportunidades” imperdíveis… curiosamente, são blogs que “enxergam” promoções todos os dias da semana (fora que copiam tudo dos outros blogs – excetuando-se críticas à LATAM e à GOL) e que conseguem até achar a animal class da TAAG como algo muito bom…. ao tais blogs divulgarem que as promoções seriam excelentes, influenciam aqueles que não possuem conhecimento efetivo sobre o mundo das milhas, levando-os a insistir nos programas de milhagem da GOL e LATAM e, por conseguinte, garantindo o lucro crescente do SMILES e do MULTIPLUS.
    Acredito que tal “incentivo” dos blogs em questão não ocorra de forma gratuita, sob pena de considerar seus administradores autênticos “burros”, ao incentivarem algo que qualquer pessoa com o mínimo de QI sabe não ser proveitoso ao consumidor…

    (b) falando do lucro, queira ou não o lucro do SMILES e do MULTIPLUS só aumenta a cada balanço anual. Referida situação apenas contribui para a continuidade da política em vigor: SMILES disparando a tabela flutuante e MULTIPLUS com piora gradativa do atendimento (para reduzir custos), além de aumento também dos resgates (lembra-se daquela opção de 110k para Oceania que lhe enviei há tempos… pois é, agora só se encontra por 220k, mesmo sendo entre 330 a 360 dias de antecedência… só DOBROU!);

    (c) e, para piorar de vez, o único programa de milhagem que, em tese, poderia competir (caso melhorasse o call center) era o AMIGO, o qual seguiu o caminho do SMILES com a grande diferença de ser uma companhia pequena, com péssimos atendentes (conseguem ser piores que os da LATAM), e com bloqueio para diversos parceiros Star Alliance, nunca permitindo emissão nestes (ao menos THAI, EVA, ASIANA e ANA). Optou por buscar o lucro, mas vejo tal ação como complicada, pois, reitero, estamos falando de uma cia pífia se comparada às demais brasileiras, com alguns voos para o exterior mas sem histórico de soft product exemplar para atrair o consumidor que fideliza;

    Daí, chegamos a outra questão, QUE ACHO VÁLIDO VOCÊ ABORDAR EM OUTRO POST: para fugir do padrão MULTIPLUS, SMILES, AMIGO e TUDOAZUL, que cartão de crédito utilizar?

    O TPC seria a grande opção, mas há uma piora considerável deste nos últimos meses (em verdade, desde o lançamento do LIVELO). Não sei se por incompetência do Bradesco, ou por desejarem forçar os clientes Membership Rewards a migrarem para o Livelo.

    Primeiramente, quanto às salas VIP´s, vivem lotadas… e cancelaram a do GIG e outras, restando poucas, as quais aceitam até GOLD (o que contribui para a lotação). Poderia o manter por ser a única sala do SDU, mas o Priority Pass passou a ter uma sala pequena por lá, a qual inda fica bem vazia.

    Quanto ao Membership Rewards, já não me recordo de grandes promoções, tais como, no passado, realizaram com IBERIA e outros… tornou-se um programa sem maiores atrativos, aparentemente de forma intencional para forçar os clientes a migrarem para o LIVELO (se for para ter conta no LIVELO, não é necessário ser cliente BRADESCO; logo, não se precisa do TPC).

    A pontuação de 2,2 é superada, hoje, por vários cartões destinados a público segmentado, destacando-se o SANTANDER, com promoções reiteradas e interessantes, permitindo pontuar bem acima de tal montante.

    Por falar em cartões destinados a público segmentado, o atendimento telefônico é lastimável, sempre demorando consideravelmente, o que não condiz com o público alvo. Como se não bastasse, não possui tecnologia agregada, tendo, inclusive, encerrado o PASSBOOK sem qualquer aviso.

    Enfim, um cartão que já foi TOP, o melhor do PAÍS, ora foi superado por seus concorrentes, seja face a melhora destes, seja pela sua péssima administração. Poderíamos considerar que possuem salas VIP’s nos EUA, mas para quem tem o Priority Pass não seria um grande diferencial…

    Superado, assim, o TPC (encerrarei o meu no final do ano após quase 10 anos de relacionamento), restam poucas opções que transfiram para programas que não SMILES, MULTIPLUS, TUDO AZUL e AMIGO… Pondero o SANTANDER, vez que envia para AEROMEXICO e IBERIA, e os cartões enviam para a TAP….

    O que acha de fazer um post sobre tal?

    • Seria um ótimo post, mas demanda uma pesquisa mais aprofundada. Posso fazer, mas vou demorar um tempinho (de volta ao trabalho! rsssss).
      Eu tbm acho que o Bradesco está tentando acabar com o Membership Rewards. Aí todos os TPC vão perder completamente o sentido, exceto se a Livelo conseguir novas parceiras aéreas …

  6. Como sempre comento entre os milheiros, o “melhor” programa depende de seus objetivos. E aí dependendo dos objetivos de viagem, encaixa-se no programa. Em geral resgates em Executiva devolvem muito mais valor por milha, mas é uma regra geral e nem sempre “casa” com objetivos das pessoas.
    Eu vejo algumas pérolas escondidas em cada um dos grandes programa brasileiros que chegaram a me interessar em algum momento:

    Smiles:
    – sempre apresenta oportunidades pontuais com a Delta para America do Norte (65 mil pontos o trecho em Business para cidades selecionadas), e como os bônus do Smiles são generosos e há oportunidades de compras de milhas por valores abaixo de R$0,03, pode valer muito a pena se seu objetivo for visitar os EUA.
    – até uns meses atrás sempre surgiam oportunidades pontuais para voar de Qatar para Buenos Aires (7,5k na economica ou 15k na business por trecho), depois da entrada da Emirates (e ao mesmo tempo que a malha aérea da Qatar ficou uma zona com o boicote da Liga Árabe) a disponibilidade da Qatar sumiu e nenuma nova promo “essa é pra voar” com milhas reduzidas como citado surgiu mais…

    Amigo Avianca
    – sempre fiquei de olho na possibilidade de ir para África do Sul em Business com a SAA por 90 mil milhas o trecho. Lógico que fiquei com um pé atrás pelos relatos das dificuldades de emitir passagens com parceiras Star Alliance e agora também com a situação financeira da SAA (mesmo assim, ainda haveria a Ethiopian como possibilidade). Adiei os planos de África do Sul, mas fico de olho…

    Tudo Azul
    – difícil achar pérolas, mas tenho 2! A primeira é Fernando de Noronha, tem que ficar monitorando, mas já vi mais de uma vez trechos de GRU (ou VCP) para FER (escala em REC) por 12 mil pontos! Uma pechincha e com disponibilidade para família toda
    – a segunda pérola são os vôos próprios para Flórida em Business, onde já vi muitas vezes ida-e-volta por 150 mil milhas. Detalhe aqui é que tem que emitir ida-e-volta, se quiser só um trecho fica quase o mesmo valor que ida-e-volta. Outro detalhe é que tem que emitir de 2 em 2 passageiros, senão o valor sobe (emite 2 passageiros com 300 mil pontos, depois outros 2 com mais 300 mil pontos, se tentar 4 de uma vez vai sair uns 800 mil pontos… loucura isso)

    Multiplus Latam
    – em vôos próprios acho que a melhor oportunidade é para Oceania em Business (Sydaney, Melbourne, Auckland) por 110 mil pontos por trecho!

    Victoria Tap (não é brasileira, mas quase…)
    – America do Norte em Business por 90 mil pontos ida-e-volta
    – Europa em Business por 120 mil pontos ida-e-volta em parceiros ou 100 mil pontos ida-e-volta voando TAP (criança metade dos pontos!!! e ainda tem o saving season com oportunidades de 70 mil pontos ou menos)

    Aí tem que ver o objetivo e ver como é mais fácil chegar a ele.

      • Para os EUA, via call center. Veja a disponibilidade da American Airlines no site da British Airways antes e já vá com tudo anotado. As demais, dá para ver no próprio site da LATAM.

      • Não sei se entendi errado, mas pareceu que lá em cima você disse que consulta no próprio site da LATAM. A busca pelo site da BA e pelo site da própria Multiplus eu já conhecia.

        Perguntei porque para mim era novidade pesquisar disponibilidade de assentos nos voos da AA, para emissão com pontos Multiplus, pelo site da LATAM.

        Como funciona? Se vendem o voo é porque tem espaço para emitir com milhas?

        • Dott, o site da LATAM não mostra a disponibilidade para emitir com a AA. Por isso que falei para consultar a disponibilidade na BA (que é a disponibilidade para as parceiras) e ligar para o call center da LATAM para emitir. Aliás, tenho que fazer uma correção: o site da BA não mostra disponibilidade de voos partindo do Brasil … Então, o jeito e ver no próprio site da AA ou no Expert Flyer.

          • Tem um bug no site da BA que de início vc não consegue visualizar vôos partindo do Brasil então na primeira tela é só fazer uma pesquisa de outro destino é origem daí na tela seguinte mudar a busca para origem do Brasil daí vc consegue..

          • Beatriz, dá sim.

            Só fazer login, ir busca e reservar com Avios, colocar LHR-JFK e data. Depois que mostrar o resultado, altere a busca para GIG-JFK. E lá está. Por exemplo, dia 14 de agosto tem 7 vagas na business do AA974.

            Bom proveito! 🙂

  7. Guilherme,

    Seria interessante anunciar em seu blog que a Smiles não honrou com o regulamento da Promoção Milhas em Triplo (primeira fase), em que constava o seguinte:

    “4. As milhas oriundas do acúmulo bem como Milhas Bônus serão disponibilizadas na conta Smiles do Participante que reservou tarifas reembolsáveis a diária no site da Smiles com a parceira RocketMiles no prazo de até 30 (trinta) dias úteis após datas de Checkouts realizados até 15 de setembro de 2017; e para tarifas não reembolsáveis a diária no site Smiles com a parceira RocketMiles no prazo de até 10 (dez) dias úteis após a data da reserva. As Milhas oriundas do acúmulo terão validade de acordo com a categoria do Participante no Programa Smiles, nos termos do regulamento já as Milhas Bônus terão validade de 06 (seis) meses, a partir do momento em que forem disponibilizadas na conta Smiles do Participante.”

    Fiz a reserva de diárias não reembolsáveis e, ultrapassados 10 (dez) dias úteis, não recebi as milhas.

    Para minha surpresa, vi que a Smiles alterou o regulamento da Promoção Milhas em Triplo (segunda fase), para 7 (sete) das úteis a contar do Checkout, a saber:

    “3. As milhas oriundas do acúmulo bem como as Milhas Bônus serão disponibilizadas na conta Smiles do Participante que reservou qualquer tipo de tarifa a diária no site da Smiles com a parceira RocketMiles no prazo de até 7 (sete) dias úteis após datas de CheckOuts. As Milhas oriundas do acúmulo terão validade de acordo com a categoria do Participante no Programa Smiles, nos termos do regulamento já as Milhas Bônus terão validade de 06 (seis) meses, a partir do momento em que forem disponibilizadas na conta Smiles do Participante.”

    Independentemente de ter alterado o regulamento da segunda fase da campanha, a Smiles tem a obrigação legal de creditar os pontos, uma vez que essa foi uma as condições fundamentais para eu optar por tarifas não reembolsáveis (mais caras). O que está ocorrendo é uma ofensa ao direito do consumidor, senão vejamos o CDC:

    Art. 35. Se o fornecedor de produtos ou serviços recusar cumprimento à oferta, apresentação ou publicidade, o consumidor poderá, alternativamente e à sua livre escolha:

    I – exigir o cumprimento forçado da obrigação, nos termos da oferta, apresentação ou publicidade;

    II – aceitar outro produto ou prestação de serviço equivalente;

    III – rescindir o contrato, com direito à restituição de quantia eventualmente antecipada, monetariamente atualizada, e a perdas e danos.

    Com a palavra a Smiles.

    • Olá, a dona da birosca aqui é Beatriz e não Guilherme … rsssss Ah, e a dona da birosca é advogada e conhece o CDC de cor e salteado. Aliás, há alguns posts com análises jurídicas aqui.
      E, por fim, bem-vindo ao Milhas & Destinos!

  8. Oi, Beatriz. A minha opinião é que isso começou a acontecer no momento em que os programas de fidelidade passaram a não ser apenas para voos, seja em acúmulo, seja em resgate. A partir do momento em que até um pãozinho francês gera pontos Smiles, a demanda por passagens prêmio aumentou e , junto (claro), os preços. E essa história de promoção todo dia é claro que é pra enganar. Infelizmente no Brasil é assim que se ganha dinheiro: enganando o consumidor. Uma pena.

  9. Beatriz,
    Parabéns pela análise, clareza, postura técnica e isenção nas suas colocações.
    Há algum tempo optei, não apenas por dar preferência, mas passei a concentrar as milhas de cartões e parcerias com hoteis, locadoras e lojas virtuais em um único Programa de milhagem.
    Atualmente, ainda sou cliente Diamante no Smiles. Tenho algo em torno de 100.000 pontos no Livelo mas por conta de incertezas nem penso em transferi-lo para o Smiles.
    Realmente, a quantidade de milhas que passou a ser exigida nos trechos dos voos para os EUA, ou para a Europa, atingiram a patamares de milhas necessárias que beiram a algo ridículo.
    Ao comparar o preço da milha (R$0,07) e a quantidade necessária por trecho com o valor praticado pelas empresas aéreas e especialmente com as ofertas em alguns sites como o MD, chegamos a conclusão que estamos sendo feitos de palhaços pois temos que ao usar as milhas pagar as taxas e assim a diferença é pífia.
    Estou pensando seriamente em começar tudo outra vez. Lá atrás abandonei os outros programas para concentrar tudo em um único.
    A ideia é passar a me relacionar com um Programa de Milhagem/Pontos que respeite os seus associados e não pratique tabelas móveis que majoram a quantidade de milhas e, ao final, não os permitam mais viajar.
    Claro que as 534.229 milhas que ainda tenho no Smiles vou tentar usa-las e da melhor maneira.
    Será que você tem como indicar ou sugerir algum programa de milhagem que deixe claro quantas milhas ou pontos serão precisos para cada trecho em uma viagem internacional para a Europa ou EUA, bem como quantas mais para cada trecho/conexão?
    Caso ainda não tenha sido cancelado, eu era inscrito no Programa Victoria da TAP.
    Para quem reside no Brasil e viaja para os EUA ele seria um programa viável?
    Acredita que a perda de mercado, ou melhor, de um abandono significativo de associados do programa poderá fazer o Smiles rever a sua postura?
    Agradeço,

    • A única coisa que faria a Smiles mudar a postura seria perder dinheiro. Enquanto estiverem com o lucro nas alturas, vão fazer o que bem quiserem. Mantenha os pontos no Livelo e nos cartões e só transfira para os programas em caso de expiração de validade ou de certeza de emissão.

  10. Amigos, oportunidade de comprar 1 milha smile por 18 reais está valendo a pena?
    ficando 6 meses no plano 10.000 está dando 96000 pontos.. mesmo com a inflação dos pontos smiles ainda vale a pena?
    Obrigado

  11. Estou impressionado com a Smiles, os bilhetes estão muito caros para comprar por milhas, precisarei repensar como irei gerir meus pontos, voos e etc.

  12. Bons tempos em que eu consegui resgatar I/V na executiva da AIR France por 105K e são só três anos atrás. Hoje nem dá para uma perna. Sou hoje Diamante e ainda sou do Clube Smiles e em breve sairei deste último. Não há praticamente disponibilidade de voos pela Alitalia e cheguei a voar na executiva por 170k há pouco mais de um ano atrás para Roma, indo e voltando . Quanto à executiva da AA, peguei um retorno de NY e era um 767, não era uma maravilha, mas atendeu bem. A sala VIP do JFK é que era ruim. Só gosto da GOL para voos nacionais porque tem um pouco mais de conforto e oferta de voos, mas ainda sim ela é ruim. A Avianca mal tem opções e a TAM é só no estado de pioria contínua.

  13. Como sempre comento entre os milheiros, o “melhor” programa depende de seus objetivos. E aí dependendo dos objetivos de viagem, encaixa-se no programa. Em geral resgates em Executiva devolvem muito mais valor por milha, mas é uma regra geral e nem sempre “casa” com objetivos das pessoas.
    Eu vejo algumas pérolas escondidas em cada um dos grandes programa brasileiros que chegaram a me interessar em algum momento:

    Smiles:
    – sempre apresenta oportunidades pontuais com a Delta para America do Norte (65 mil pontos o trecho em Business para cidades selecionadas), e como os bônus do Smiles são generosos e há oportunidades de compras de milhas por valores abaixo de R$0,03, pode valer muito a pena se seu objetivo for visitar os EUA.
    – até uns meses atrás sempre surgiam oportunidades pontuais para voar de Qatar para Buenos Aires (7,5k na economica ou 15k na business por trecho), depois da entrada da Emirates (e ao mesmo tempo que a malha aérea da Qatar ficou uma zona com o boicote da Liga Árabe) a disponibilidade da Qatar sumiu e nenuma nova promo “essa é pra voar” com milhas reduzidas como citado surgiu mais…

    Amigo Avianca
    – sempre fiquei de olho na possibilidade de ir para África do Sul em Business com a SAA por 90 mil milhas o trecho. Lógico que fiquei com um pé atrás pelos relatos das dificuldades de emitir passagens com parceiras Star Alliance e agora também com a situação financeira da SAA (mesmo assim, ainda haveria a Ethiopian como possibilidade). Adiei os planos de África do Sul, mas fico de olho…

    Tudo Azul
    – difícil achar pérolas, mas tenho 2! A primeira é Fernando de Noronha, tem que ficar monitorando, mas já vi mais de uma vez trechos de GRU (ou VCP) para FER (escala em REC) por 12 mil pontos! Uma pechincha e com disponibilidade para família toda
    – a segunda pérola são os vôos próprios para Flórida em Business, onde já vi muitas vezes ida-e-volta por 150 mil milhas. Detalhe aqui é que tem que emitir ida-e-volta, se quiser só um trecho fica quase o mesmo valor que ida-e-volta. Outro detalhe é que tem que emitir de 2 em 2 passageiros, senão o valor sobe (emite 2 passageiros com 300 mil pontos, depois outros 2 com mais 300 mil pontos, se tentar 4 de uma vez vai sair uns 800 mil pontos… loucura isso)

    Multiplus Latam
    – em vôos próprios acho que a melhor oportunidade é para Oceania em Business (Sydaney, Melbourne, Auckland) por 110 mil pontos por trecho!

    Victoria Tap (não é brasileira, mas quase…)
    – America do Norte em Business por 90 mil pontos ida-e-volta
    – Europa em Business por 120 mil pontos ida-e-volta em parceiros ou 100 mil pontos ida-e-volta voando TAP (criança metade dos pontos!!! e ainda tem o saving season com oportunidades de 70 mil pontos ou menos)

    Aí tem que ver o objetivo e ver como é mais fácil chegar a ele.

      • Para os EUA, via call center. Veja a disponibilidade da American Airlines no site da British Airways antes e já vá com tudo anotado. As demais, dá para ver no próprio site da LATAM.

  14. Amigos, oportunidade de comprar 1 milha smile por 18 reais está valendo a pena?
    ficando 6 meses no plano 10.000 está dando 96000 pontos.. mesmo com a inflação dos pontos smiles ainda vale a pena?
    Obrigado

  15. Esse foi um dos motivos que desisti de enviar pontos dos cartões pra lá…infelizmente muitas pessoas por falta de informação acabam vendo a propaganda de bônus 100% semana sim e semana não…e acabam correndo o risco de fazer péssimo negócio…acredito que hoje dos programas brasileiros o menos pior seria o Multiplus na questão de resgate em parceiros e na própria latam onde com antecedência consegue se achar os valores mínimos para resgate…so falta terem uma t.i melhor pra melhorar o site e tirar a emissão em parceiras do call Center principalmente para os estados unidos já que para Europa até é possível achar pelas parceiras via site…

    • Concordo, Rodolfo: o site (TI) e o call center precisam melhorar muito no LATAM Fidelidade. E vamos acabar com o Multiplus de intermediário para resgate/emissão, né?

      • Exato..vamos ver se unificam latam fidelidade..pass…Multiplus..,As vezes penso que o fato de resgate de algumas parceiras ser via call Center (não somente na latam)é só para criar uma dificuldade e assim falar que sempre tem disponibilidade em parceiros e se fosse acessível via site sem dúvida todo mundo iria preferir resgate das parceiras do que latam fazendo acontecer o que acontece hoje no Smiles onde rapidamente some as disponibilidades com valor baixo em parceiras quando fazem alguma promoção..

          • Costumo usar o executive club da british quando encontro um vôo da Ibéria/british por exemplo encontro tb no Multiplus via site,se for voo para estados unidos se achar vôos pela American airlines tem que ligar no call Center com as datas , origem..destino..horário de voô..número do voo…e quem sabe se pegar um bom atendente conseguir emitir..kkkk

          • Ops coloquei a reposta no lugar errado..kkkk..
            Bom concordo a Gol tem poucos vôos internacionais infelizmente mas acredito que se fizessem parte da skyteam provavelmente teria mais disponibilidade de resgate em parceiras da aliança… afinal acredito que seus parceiros devem limitar a quantidade de resgate da Gol…

  16. Oi Beatriz, comentamos em outra oportunidade sobre essa inflação nos pontos smiles.
    É uma pena.
    Outro ponto que demonstra claramente esse efeito é a redução drástica da quantidade de empresa parceira para gastar os pontos que os clientes acumulam. Encontrávamos grandes lojas do varejo e hoje as opções são bem restritas. Ou seja, essa inflação nem foi só para os resgates de passagem..foi generalizada.

    Comecei o acúmulo de ponto consistente há uns 2 anos. Apostei e concentrei tudo na smiles. Hoje vejo que errei. E errei justamente pela ilusão de parecer ser mais fácil acumular smiles que multiplus, tendo em vista que até abastecer gerava smiles (antigo premmia).

    Ficamos felizes quando surge uma promocão GIG – Montevideu por 16k I/V. Sendo que justamente em 2014 era possível emitir o mesmo trecho por 8k I/V. Pagando metade pelo dobro. É triste. Mudando a direção dos acúmulos e torcer para que a LATAM mantenha a política.

    • Oi Gláucia, bem vinda ao Milhas e Destinos. Esses programas são muito voláteis. Há pouco tempo o Smiles estava melhor, hoje eu acho que o LATAM Fidelidade está melhor (menos pior).

  17. Prezada Beatriz,

    Infelizmente, o “buraco” é mais embaixo:

    (a) Simultânea e curiosamente mente ao aumento das tabelas, alguns “blogs” insistem em divulgar que o SMILES tem “oportunidades” imperdíveis… curiosamente, são blogs que “enxergam” promoções todos os dias da semana (fora que copiam tudo dos outros blogs – excetuando-se críticas à LATAM e à GOL) e que conseguem até achar a animal class da TAAG como algo muito bom…. ao tais blogs divulgarem que as promoções seriam excelentes, influenciam aqueles que não possuem conhecimento efetivo sobre o mundo das milhas, levando-os a insistir nos programas de milhagem da GOL e LATAM e, por conseguinte, garantindo o lucro crescente do SMILES e do MULTIPLUS.
    Acredito que tal “incentivo” dos blogs em questão não ocorra de forma gratuita, sob pena de considerar seus administradores autênticos “burros”, ao incentivarem algo que qualquer pessoa com o mínimo de QI sabe não ser proveitoso ao consumidor…

    (b) falando do lucro, queira ou não o lucro do SMILES e do MULTIPLUS só aumenta a cada balanço anual. Referida situação apenas contribui para a continuidade da política em vigor: SMILES disparando a tabela flutuante e MULTIPLUS com piora gradativa do atendimento (para reduzir custos), além de aumento também dos resgates (lembra-se daquela opção de 110k para Oceania que lhe enviei há tempos… pois é, agora só se encontra por 220k, mesmo sendo entre 330 a 360 dias de antecedência… só DOBROU!);

    (c) e, para piorar de vez, o único programa de milhagem que, em tese, poderia competir (caso melhorasse o call center) era o AMIGO, o qual seguiu o caminho do SMILES com a grande diferença de ser uma companhia pequena, com péssimos atendentes (conseguem ser piores que os da LATAM), e com bloqueio para diversos parceiros Star Alliance, nunca permitindo emissão nestes (ao menos THAI, EVA, ASIANA e ANA). Optou por buscar o lucro, mas vejo tal ação como complicada, pois, reitero, estamos falando de uma cia pífia se comparada às demais brasileiras, com alguns voos para o exterior mas sem histórico de soft product exemplar para atrair o consumidor que fideliza;

    Daí, chegamos a outra questão, QUE ACHO VÁLIDO VOCÊ ABORDAR EM OUTRO POST: para fugir do padrão MULTIPLUS, SMILES, AMIGO e TUDOAZUL, que cartão de crédito utilizar?

    O TPC seria a grande opção, mas há uma piora considerável deste nos últimos meses (em verdade, desde o lançamento do LIVELO). Não sei se por incompetência do Bradesco, ou por desejarem forçar os clientes Membership Rewards a migrarem para o Livelo.

    Primeiramente, quanto às salas VIP´s, vivem lotadas… e cancelaram a do GIG e outras, restando poucas, as quais aceitam até GOLD (o que contribui para a lotação). Poderia o manter por ser a única sala do SDU, mas o Priority Pass passou a ter uma sala pequena por lá, a qual inda fica bem vazia.

    Quanto ao Membership Rewards, já não me recordo de grandes promoções, tais como, no passado, realizaram com IBERIA e outros… tornou-se um programa sem maiores atrativos, aparentemente de forma intencional para forçar os clientes a migrarem para o LIVELO (se for para ter conta no LIVELO, não é necessário ser cliente BRADESCO; logo, não se precisa do TPC).

    A pontuação de 2,2 é superada, hoje, por vários cartões destinados a público segmentado, destacando-se o SANTANDER, com promoções reiteradas e interessantes, permitindo pontuar bem acima de tal montante.

    Por falar em cartões destinados a público segmentado, o atendimento telefônico é lastimável, sempre demorando consideravelmente, o que não condiz com o público alvo. Como se não bastasse, não possui tecnologia agregada, tendo, inclusive, encerrado o PASSBOOK sem qualquer aviso.

    Enfim, um cartão que já foi TOP, o melhor do PAÍS, ora foi superado por seus concorrentes, seja face a melhora destes, seja pela sua péssima administração. Poderíamos considerar que possuem salas VIP’s nos EUA, mas para quem tem o Priority Pass não seria um grande diferencial…

    Superado, assim, o TPC (encerrarei o meu no final do ano após quase 10 anos de relacionamento), restam poucas opções que transfiram para programas que não SMILES, MULTIPLUS, TUDO AZUL e AMIGO… Pondero o SANTANDER, vez que envia para AEROMEXICO e IBERIA, e os cartões enviam para a TAP….

    O que acha de fazer um post sobre tal?

    • Seria um ótimo post, mas demanda uma pesquisa mais aprofundada. Posso fazer, mas vou demorar um tempinho (de volta ao trabalho! rsssss).
      Eu tbm acho que o Bradesco está tentando acabar com o Membership Rewards. Aí todos os TPC vão perder completamente o sentido, exceto se a Livelo conseguir novas parceiras aéreas …

      • Não sei se entendi errado, mas pareceu que lá em cima você disse que consulta no próprio site da LATAM. A busca pelo site da BA e pelo site da própria Multiplus eu já conhecia.

        Perguntei porque para mim era novidade pesquisar disponibilidade de assentos nos voos da AA, para emissão com pontos Multiplus, pelo site da LATAM.

        Como funciona? Se vendem o voo é porque tem espaço para emitir com milhas?

        • Dott, o site da LATAM não mostra a disponibilidade para emitir com a AA. Por isso que falei para consultar a disponibilidade na BA (que é a disponibilidade para as parceiras) e ligar para o call center da LATAM para emitir. Aliás, tenho que fazer uma correção: o site da BA não mostra disponibilidade de voos partindo do Brasil … Então, o jeito e ver no próprio site da AA ou no Expert Flyer.

          • Beatriz, dá sim.

            Só fazer login, ir busca e reservar com Avios, colocar LHR-JFK e data. Depois que mostrar o resultado, altere a busca para GIG-JFK. E lá está. Por exemplo, dia 14 de agosto tem 7 vagas na business do AA974.

            Bom proveito! 🙂

          • Tem um bug no site da BA que de início vc não consegue visualizar vôos partindo do Brasil então na primeira tela é só fazer uma pesquisa de outro destino é origem daí na tela seguinte mudar a busca para origem do Brasil daí vc consegue..

  18. Estou impressionado com a Smiles, os bilhetes estão muito caros para comprar por milhas, precisarei repensar como irei gerir meus pontos, voos e etc.

  19. Em primeiro lugar, parabens pelas análises no site. Conheço a pouco tempo e agora sou leitor assíduo.
    Não entendi bem a “tabela fixa” da Latam. Eu emiti em econômica do Rio a Paris, uma perna, por 75k milhas (voo da propria Latam). Isso foi para vespera do Natal, então achei até razoavel, mas não vejo aonde a tabela seja fixa. A volta eu consegui na Alitalia por 40k. Apareceu no Smiles só por algumas horas e depois sumiu, mas eu consegui emitir.
    Quanto ao Smiles, esta bem ruim sim, mas em alguns casos compensa. Estou pesquisando Londres-Kathmandu e consigo pela Ethiad via Smiles por 85k milhas ida e volta. Multiplus, Amigo ou Victoria são todos bem mais caros.

  20. Oi, Beatriz. A minha opinião é que isso começou a acontecer no momento em que os programas de fidelidade passaram a não ser apenas para voos, seja em acúmulo, seja em resgate. A partir do momento em que até um pãozinho francês gera pontos Smiles, a demanda por passagens prêmio aumentou e , junto (claro), os preços. E essa história de promoção todo dia é claro que é pra enganar. Infelizmente no Brasil é assim que se ganha dinheiro: enganando o consumidor. Uma pena.

  21. Guilherme,

    Seria interessante anunciar em seu blog que a Smiles não honrou com o regulamento da Promoção Milhas em Triplo (primeira fase), em que constava o seguinte:

    “4. As milhas oriundas do acúmulo bem como Milhas Bônus serão disponibilizadas na conta Smiles do Participante que reservou tarifas reembolsáveis a diária no site da Smiles com a parceira RocketMiles no prazo de até 30 (trinta) dias úteis após datas de Checkouts realizados até 15 de setembro de 2017; e para tarifas não reembolsáveis a diária no site Smiles com a parceira RocketMiles no prazo de até 10 (dez) dias úteis após a data da reserva. As Milhas oriundas do acúmulo terão validade de acordo com a categoria do Participante no Programa Smiles, nos termos do regulamento já as Milhas Bônus terão validade de 06 (seis) meses, a partir do momento em que forem disponibilizadas na conta Smiles do Participante.”

    Fiz a reserva de diárias não reembolsáveis e, ultrapassados 10 (dez) dias úteis, não recebi as milhas.

    Para minha surpresa, vi que a Smiles alterou o regulamento da Promoção Milhas em Triplo (segunda fase), para 7 (sete) das úteis a contar do Checkout, a saber:

    “3. As milhas oriundas do acúmulo bem como as Milhas Bônus serão disponibilizadas na conta Smiles do Participante que reservou qualquer tipo de tarifa a diária no site da Smiles com a parceira RocketMiles no prazo de até 7 (sete) dias úteis após datas de CheckOuts. As Milhas oriundas do acúmulo terão validade de acordo com a categoria do Participante no Programa Smiles, nos termos do regulamento já as Milhas Bônus terão validade de 06 (seis) meses, a partir do momento em que forem disponibilizadas na conta Smiles do Participante.”

    Independentemente de ter alterado o regulamento da segunda fase da campanha, a Smiles tem a obrigação legal de creditar os pontos, uma vez que essa foi uma as condições fundamentais para eu optar por tarifas não reembolsáveis (mais caras). O que está ocorrendo é uma ofensa ao direito do consumidor, senão vejamos o CDC:

    Art. 35. Se o fornecedor de produtos ou serviços recusar cumprimento à oferta, apresentação ou publicidade, o consumidor poderá, alternativamente e à sua livre escolha:

    I – exigir o cumprimento forçado da obrigação, nos termos da oferta, apresentação ou publicidade;

    II – aceitar outro produto ou prestação de serviço equivalente;

    III – rescindir o contrato, com direito à restituição de quantia eventualmente antecipada, monetariamente atualizada, e a perdas e danos.

    Com a palavra a Smiles.

    • Olá, a dona da birosca aqui é Beatriz e não Guilherme … rsssss Ah, e a dona da birosca é advogada e conhece o CDC de cor e salteado. Aliás, há alguns posts com análises jurídicas aqui.
      E, por fim, bem-vindo ao Milhas & Destinos!

  22. Beatriz,
    Parabéns pela análise, clareza, postura técnica e isenção nas suas colocações.
    Há algum tempo optei, não apenas por dar preferência, mas passei a concentrar as milhas de cartões e parcerias com hoteis, locadoras e lojas virtuais em um único Programa de milhagem.
    Atualmente, ainda sou cliente Diamante no Smiles. Tenho algo em torno de 100.000 pontos no Livelo mas por conta de incertezas nem penso em transferi-lo para o Smiles.
    Realmente, a quantidade de milhas que passou a ser exigida nos trechos dos voos para os EUA, ou para a Europa, atingiram a patamares de milhas necessárias que beiram a algo ridículo.
    Ao comparar o preço da milha (R$0,07) e a quantidade necessária por trecho com o valor praticado pelas empresas aéreas e especialmente com as ofertas em alguns sites como o MD, chegamos a conclusão que estamos sendo feitos de palhaços pois temos que ao usar as milhas pagar as taxas e assim a diferença é pífia.
    Estou pensando seriamente em começar tudo outra vez. Lá atrás abandonei os outros programas para concentrar tudo em um único.
    A ideia é passar a me relacionar com um Programa de Milhagem/Pontos que respeite os seus associados e não pratique tabelas móveis que majoram a quantidade de milhas e, ao final, não os permitam mais viajar.
    Claro que as 534.229 milhas que ainda tenho no Smiles vou tentar usa-las e da melhor maneira.
    Será que você tem como indicar ou sugerir algum programa de milhagem que deixe claro quantas milhas ou pontos serão precisos para cada trecho em uma viagem internacional para a Europa ou EUA, bem como quantas mais para cada trecho/conexão?
    Caso ainda não tenha sido cancelado, eu era inscrito no Programa Victoria da TAP.
    Para quem reside no Brasil e viaja para os EUA ele seria um programa viável?
    Acredita que a perda de mercado, ou melhor, de um abandono significativo de associados do programa poderá fazer o Smiles rever a sua postura?
    Agradeço,

    • A única coisa que faria a Smiles mudar a postura seria perder dinheiro. Enquanto estiverem com o lucro nas alturas, vão fazer o que bem quiserem. Mantenha os pontos no Livelo e nos cartões e só transfira para os programas em caso de expiração de validade ou de certeza de emissão.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Most Popular

Recent Comments

Viajante Pobretão Jr. on Tóquio estuda novo estado de emergência
Paulo André Metchko on Itaucard Pão de Açúcar Platinum
Felipe Oliveira Silva on Itaucard Pão de Açúcar Platinum
disqus_OagBp1mexo on O Santander não se emenda …
Beatriz Roland on O Santander não se emenda …
Beatriz Roland on O Santander não se emenda …
Beatriz Roland on O Santander não se emenda …
Emanuel Soares on O Santander não se emenda …
Beatriz Roland on O Santander não se emenda …
Beatriz Roland on O Santander não se emenda …
Mário Sérgio Oliveira on O Santander não se emenda …
Adalberto Moscal on O Santander não se emenda …
Robson Pereira on O Santander não se emenda …
lissandro dauer on O Santander não se emenda …
Mário Sérgio Oliveira on O Santander não se emenda …
ronald william on O Santander não se emenda …
Evandro Sperandio on O Santander não se emenda …
Thiago Soares Correia on O Santander não se emenda …
Gilberto Carmona on O Santander não se emenda …
Henrique P. P. on O Santander não se emenda …
Cinthia Rangel on O Santander não se emenda …
Raimundo Almeida Júnior on A Avianca é a nova parceira Smiles?
luiz paulo alencar on As Viagens Inusitadas da Minha Vida
Afonso De Oliveira Barros on As Viagens Inusitadas da Minha Vida
Quero Viajar na Faixa on As Viagens Inusitadas da Minha Vida
Raimundo Almeida Júnior on Accor amplia o portfólio de hotéis do grupo
Raimundo Almeida Júnior on Smiles: Viaje Fácil com 75% de desconto
Deyvisson F. R. Almeida on Como a COVID-19 afetou suas viagens?
Raimundo Almeida Júnior on Como a COVID-19 afetou suas viagens?
Raimundo Almeida Júnior on Como a COVID-19 afetou suas viagens?
Guilherme Marchese on Como a COVID-19 afetou suas viagens?
Guilherme Marchese on Como a COVID-19 afetou suas viagens?
Deyvisson F. R. Almeida on Como a COVID-19 afetou suas viagens?
Deyvisson F. R. Almeida on Como a COVID-19 afetou suas viagens?
Raimundo Almeida Júnior on Qatar Airways sem primeira classe até 2021
Raimundo Almeida Júnior on Qatar Airways sem primeira classe até 2021
Marry manuelli paes de farias on Reserva Cool orienta clientes a pedir chargeback
Vanessa de Carvalho Dias on Como a pandemia afetou minhas viagens
Vanessa de Carvalho Dias on Como a pandemia afetou minhas viagens
Deyvisson F. R. Almeida on Como a pandemia afetou minhas viagens
Paulo André Metchko on Itaucard Pão de Açúcar Platinum
Tiago Luiz Martins S Costa on Reserva Cool orienta clientes a pedir chargeback
Luiz Henrique Moraes Barros Ca on Problemas com os cartões Santander AAdvantage
Leonardo Tito Preza Figueiró on Problemas com os cartões Santander AAdvantage
Leandro Esteves on E agora, clientes LATAM Pass?
Ronaldo Azevedo on E agora, clientes LATAM Pass?
Ronaldo Azevedo on E agora, clientes LATAM Pass?
Rodrigo Guimaraes on E agora, clientes LATAM Pass?
Luis Ghivelder on E agora, clientes LATAM Pass?
Rodolfo França on E agora, clientes LATAM Pass?
André Ferreira on E agora, clientes LATAM Pass?
Gustavo Botelho on E agora, clientes LATAM Pass?
Gustavo Botelho on E agora, clientes LATAM Pass?
Beatriz Roland on E agora, clientes LATAM Pass?
Renan Augusto Arboleda on E agora, clientes LATAM Pass?
Raimundo Almeida Júnior on Smiles: 70% de desconto na compra de milhas
Denilson Vargas Lima Junior on Os recentes erros de pesquisa no site do Smiles
Thiago Soares Correia on LATAM Pass atualiza o seu programa
Mauricio Laukenickas on LATAM Pass atualiza o seu programa
Leonardo Tito Preza Figueiró on Itaucard Pão de Açúcar Platinum
Antagonista Caratinguense on Itaucard Pão de Açúcar Platinum
Renan Augusto Arboleda on Itaucard Pão de Açúcar Platinum
Antonio Carlos Oliveira Junior on GOL: um voo diferente na ponte aérea
Renan Augusto Arboleda on GOL: um voo diferente na ponte aérea
Eduardo Caldeira Meira on GOL: um voo diferente na ponte aérea