q6prmv.md.png
quinta-feira, julho 29, 2021
q6prmv.md.png

Os clubes de milhas ainda valem a pena?

Autor

Categorias

Compartilhar

Os clubes de milhas foram uma inovação dos programas de fidelização brasileiros, agora seguidos pelo Lifemiles e pelo TAP Miles&GO. A ideia é simples: paga-se um x mensal ou anual para que seja creditada uma certa quantidade de milhas mensalmente na conta do cliente.

Dessa forma, os programas de milhas deram um recado ao consumidor: você não precisa mais voar com a companhia aérea para poder ter milhas. Você agora pode comprá-las. Mais do que isso, na verdade: você nem precisamdispender grandes quantias, ainda que parceladamente.

Basta aderir ao nosso clube que a quantidade de milhas que cabe no seu orçamento estará à sua disposição todos os meses. E você pode cancelar a sua adesão no momento que quiser.

Isso é uma enorme vantagem em relação à compra de grandes quantidades de milhas. Uma vez que você adquire 100.000 pontos Multiplus por R$ 3.500,00, serão 10 parcelas (ou menos) de R$ 350,00 ao mês independentemente da sua saúde financeira futura.

Hoje em dia, todas as promoções dos programas de milhas brasileiros envolvem diferentes bônus dependendo de dois fatores preponderantes: ter status com a companhia aérea vinculada ou pertencer ao clube de milhas do programa.

O TudoAzul e o Smiles são os programas em que o status mais alto pode substituir a adesão aos seus respectivos clubes. Já em relação à Multiplus, não faz qualquer diferença ter ou não ter status no LATAM Fidelidade.

A coisa fez tanto sucesso que a Livelo, uma empresa que não tem qualquer relação com programa de fidelidade de companhia aérea, criou o seu próprio clube e formou parcerias com diversas transportadoras. Hoje a empresa é referência para todos que transitam no universo das milhas. Taí uma história de sucesso comercial retumbante!

Recentemente, o TAP Miles&GO fez uma promoção que dava 120% de bônus na transferência de pontos Livelo, contanto que o indivíduo fosse cliente dos dois clubes. A jogada foi espertíssima: eu desconhecia alguém que fosse assinante do clube da TAP e, de uma hora para o outra, milhares de pessoas aderiram, inclusive eu.

Confesso que, no dia, fiquei na dúvida sobre qual plano aderir e hoje creio que escolhi corretamente. Pesando na balança a relação custo-benefício e o comportamento dos programas de milhas nos últimos 2 – 3 anos, optei pelo mais barato.

Aliás, off-topic, como a TAP pode fazer isso conosco (dizer que não vai honrar as passagens do Amigo) logo depois dessa mega-adesão? É muita falta de visão e de uma consultoria jurídica básica …

Na minha opinião personalíssima, para quem usa milhas para voar, de pouco adiantam cálculos mirabolantes para aderir ao clube mais caro prevendo emitir uma executiva da Emirates ou da Qatar para a Ásia daqui a um ano. Em um ano eu não sei nem se aquele programa vai existir – aqui jaz o Amigo como exemplo.

Para mim, dado o estado atual do mercado, só vale a pena assinar os clubes de milhas mais baratos. Pagar cerca de R$ 350,00/mês para o Clube Multiplus para poder ganhar 20% a mais do que o Clube 1.000 em uma eventual transferência não me é interessante. É claro que cada qual com seu cada qual …

O único clube que assino no máximo é o Clube Livelo. E a razão é simples: flexibilidade. Meus pontos estão lá e eu posso transferir com bônus quando for mais conveniente para mim.

Os pontos dos clubes saem por mais do que R$ 30,00/milheiro e com as transferências bonificadas da Livelo eu consigo gerar milhas mais em conta.

Então, a minha política é assinar os clubes dos programas de milhas na sua vertente mais barata e o Livelo no máximo.

E você? Assina os clubes? Quais as vantagens e desvantagens no seu caso pessoal? Vamos trocar ideias!

Autor

Compartilhar