q6prmv.md.png
sexta-feira, junho 18, 2021
q6prmv.md.png
InícioEmpresas AéreasOutras Empresas AereasProblemão na Qatar Airways: SP - Doha via Atenas

Problemão na Qatar Airways: SP – Doha via Atenas

A situação dos voos da Qatar Airways está complicadíssima. Com o rompimento das relações diplomáticas de seis países árabes com o Qatar e o consequente fechamento de fronteiras e espaço aéreo, a Qatar Airways corre o risco de não conseguir levantar voo. Isso por que o espaço aéreo do Bahrain engloba o espaço aéreo qatari. Além disso, o espaço aéreo saudita e emirati também está fechado para as empresas qataris.

Apesar de estados soberanos serem livre para recusarem o pouso de aeronaves estrangeiras, ainda não está claro se o Bahrain e os EAU podem legalmente impedir a Qatar Airways de entrar em seu espaço aéreo. O IASTA, International Air Services Transit Agreement, do qual o Bahrain, os EAU e o Qatar são partes, determina que esses países não podem fechar o seu respectivo espaço aéreo para signatários. Entretanto, na práticam nada obriga que os EAU e o Bahrain aceitem a Qatar Airways em seu espaço aéreo. O caso da Arábia Saudita é mais claro: ela não é signatária do tratado e pode fazer como bem entender, sem denunciar o IASTA.

De acordo com o FlightRadar24, a autoridade aeronáutica do Bahrain está limitando o tráfego das aeronaves da Qatar Airways a uma única aerovia. O resultado prático disso é que o voo Doha – São Paulo agora está tendo uma parada obrigatória em Atenas, já que não consegue atravessar o espaço aéreo saudita.

Voo QR773 dia 6 de junho

O voo saiu hoje de Doha para Atenas com atraso, e tem expectativa de pouso às 22:14 hrs.

No momento, a aeronave está sobrevoando a Argélia. A Líbia também aderiu ao embargo.

É bem provável que a rota São Paulo – Doha mantenha essa escala na Europa, enquanto perdurar a crise diplomática. É aconselhável ligar para o escritório da Qatar Airways no Brasil para obter informações oficiais.

RELATED ARTICLES

24 COMENTÁRIOS

  1. Então, dancei!

    Volto no dia 14/06 de Doha (em verdade, conexão da First em Doha para pegar a Business) para GRU…

    Pelo que entendi, a aeronave fará uma escala em Athenas, correto?

    E, com isto, minha chegada em GRU atrasará sobremaneira e perderei meu voo para CNF que tinha comprado separado…

    Já estou vislumbrando o processo judicial no Juizado que tal ensejará: atraso causado pela cia, que se recusará a pagar hotel… promete!!!!

  2. Essa é a mentalidade brasileira: vou valer-me de um problema que não tem nada a ver com a cia aérea (no caso da aquisição do bilhete separado), para ganhar dinheiro as custas dela mesmo em um processo judicial..

    • Rodrigo, no direito do consumidor existe o que chamamos de deveres laterais/anexos ao contrato: são deveres que o contratante tem com a outra parte ainda que não tenham relação com o objeto do contrato em si que, no caso, é o transporte aéreo.

      Essa ideia de deveres laterais não é uma invencionice brasileira, não. Tem base na melhor doutrina europeia.

      Em atrasos de monta como esse – acima de 4 horas – a empresa aérea deve dar todo o suporte ao passageiro, independentemente de culpa, uma vez que a responsabilidade civil é objetiva.

      Se esse expressivo atraso vai impactar a vida do passageiro – esse, sim, que não tem culpa nenhuma dos problemas da empresa ou do governo qatari (a Qatar Airways é uma empresa estatal) – ela deve, sim, prestar toda a assistência para minimizar os transtornos. Afinal,quem tem o bônus da atividade econômica também deve arcar com o ônus.

      O que os tribunais não devem conceder, nesse caso, é a indenização por danos morais, caso a empresa concorde dar o hotel para o passageiro ficar durante a noite e uma passagem no dia seguinte para que ele chegue no seu destino.

      • Obrigado, Beatriz, por haver DOUTRINADO a ignorância acima demonstrarada.

        Não se trata da aquisição de outro bilhete.

        Trata-se do contrato que celebrei com a Qatar para chegar ao Brasil às 16:00hs.

        Pretender que o consumidor fique inerte após haver pago para voar de Business e descobrir um MEGA atraso que destruirá sua viagem de retorno é SIM o problema do Brasileiro: ser passivo com tudo…

        Não é à toa que o “gigante” acordou nas ruas na época da Copa das Confederações e voltou a dormir, salvo poucos suspiros.. a passividade que garante a impunidade a estas empresas. Não mudará minha vida 3.000 ou 5.000 a mais; felizmente, em minha renda tal não impacta. Mas é o efeito EDUCATIVO junto à companhia aérea!

        Se todos buscassem seus direitos, não seríamos um país que as empresas ignoram o consumidor, face este ser um inerte completo!

  3. Tenho bilhete marcado para Buenos Aires sábado e volta na quinta-feira, emitido pelo Smiles desde novembro do ano passado. O que faço?

  4. Boa tarde, vocês sabem se ocorrerá algum remanejamento nos horários dos voos? Eu viajarei somente daqui alguns meses, espero que a situação esteja resolvida até lá, mas me preocupo com os horários das conexões. Essa escala extra em Atenas inviabiliza minha conexão no voo seguinte para o Japão.

    • Oi Rodrigo, por incrível que pareça, a Qatar afirmou hoje no Twitter que tudo está normalizado. “Business as usual”, a empresa disse.
      Mas um alento para você: parece que a escala só está ocorrendo no voo de Doha para SP e não no de SP para Doha, por conta dos ventos. De qualquer modo, se o DOH – GRU atrasar muito, isso vai impactar o GRU – EZE e a volta EZE – GRU também.
      Se sua passagem foi comprada diretamente com a Qatar, sugiro que, cerca de 1 mês antes da viagem, você ligue para a empresa para saber como deve proceder. Se a sua passagem foi emitida com milhas/pontos com a Smiles ou LATAM, ligue hoje mesmo para essas empresas. Caso não haja nenhuma info, registre sua preocupação via email para o SAC da empresa responsável pela emissão do seu bilhete. Mantenha documentação escrita de toda as comunicações.

  5. Essa é a mentalidade brasileira: vou valer-me de um problema que não tem nada a ver com a cia aérea (no caso da aquisição do bilhete separado), para ganhar dinheiro as custas dela mesmo em um processo judicial..

    • Rodrigo, no direito do consumidor existe o que chamamos de deveres laterais/anexos ao contrato: são deveres que o contratante tem com a outra parte ainda que não tenham relação com o objeto do contrato em si que, no caso, é o transporte aéreo.

      Essa ideia de deveres laterais não é uma invencionice brasileira, não. Tem base na melhor doutrina europeia.

      Em atrasos de monta como esse – acima de 4 horas – a empresa aérea deve dar todo o suporte ao passageiro, independentemente de culpa, uma vez que a responsabilidade civil é objetiva.

      Se esse expressivo atraso vai impactar a vida do passageiro – esse, sim, que não tem culpa nenhuma dos problemas da empresa ou do governo qatari (a Qatar Airways é uma empresa estatal) – ela deve, sim, prestar toda a assistência para minimizar os transtornos. Afinal,quem tem o bônus da atividade econômica também deve arcar com o ônus.

      O que os tribunais não devem conceder, nesse caso, é a indenização por danos morais, caso a empresa concorde dar o hotel para o passageiro ficar durante a noite e uma passagem no dia seguinte para que ele chegue no seu destino.

      • Obrigado, Beatriz, por haver DOUTRINADO a ignorância acima demonstrarada.

        Não se trata da aquisição de outro bilhete.

        Trata-se do contrato que celebrei com a Qatar para chegar ao Brasil às 16:00hs.

        Pretender que o consumidor fique inerte após haver pago para voar de Business e descobrir um MEGA atraso que destruirá sua viagem de retorno é SIM o problema do Brasileiro: ser passivo com tudo…

        Não é à toa que o “gigante” acordou nas ruas na época da Copa das Confederações e voltou a dormir, salvo poucos suspiros.. a passividade que garante a impunidade a estas empresas. Não mudará minha vida 3.000 ou 5.000 a mais; felizmente, em minha renda tal não impacta. Mas é o efeito EDUCATIVO junto à companhia aérea!

        Se todos buscassem seus direitos, não seríamos um país que as empresas ignoram o consumidor, face este ser um inerte completo!

  6. Então, dancei!

    Volto no dia 14/06 de Doha (em verdade, conexão da First em Doha para pegar a Business) para GRU…

    Pelo que entendi, a aeronave fará uma escala em Athenas, correto?

    E, com isto, minha chegada em GRU atrasará sobremaneira e perderei meu voo para CNF que tinha comprado separado…

    Já estou vislumbrando o processo judicial no Juizado que tal ensejará: atraso causado pela cia, que se recusará a pagar hotel… promete!!!!

  7. Boa tarde, vocês sabem se ocorrerá algum remanejamento nos horários dos voos? Eu viajarei somente daqui alguns meses, espero que a situação esteja resolvida até lá, mas me preocupo com os horários das conexões. Essa escala extra em Atenas inviabiliza minha conexão no voo seguinte para o Japão.

    • Oi Rodrigo, por incrível que pareça, a Qatar afirmou hoje no Twitter que tudo está normalizado. “Business as usual”, a empresa disse.
      Mas um alento para você: parece que a escala só está ocorrendo no voo de Doha para SP e não no de SP para Doha, por conta dos ventos. De qualquer modo, se o DOH – GRU atrasar muito, isso vai impactar o GRU – EZE e a volta EZE – GRU também.
      Se sua passagem foi comprada diretamente com a Qatar, sugiro que, cerca de 1 mês antes da viagem, você ligue para a empresa para saber como deve proceder. Se a sua passagem foi emitida com milhas/pontos com a Smiles ou LATAM, ligue hoje mesmo para essas empresas. Caso não haja nenhuma info, registre sua preocupação via email para o SAC da empresa responsável pela emissão do seu bilhete. Mantenha documentação escrita de toda as comunicações.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Most Popular

Recent Comments

Viajante Pobretão Jr. on Tóquio estuda novo estado de emergência
Paulo André Metchko on Itaucard Pão de Açúcar Platinum
Felipe Oliveira Silva on Itaucard Pão de Açúcar Platinum
disqus_OagBp1mexo on O Santander não se emenda …
Beatriz Roland on O Santander não se emenda …
Beatriz Roland on O Santander não se emenda …
Beatriz Roland on O Santander não se emenda …
Emanuel Soares on O Santander não se emenda …
Beatriz Roland on O Santander não se emenda …
Beatriz Roland on O Santander não se emenda …
Mário Sérgio Oliveira on O Santander não se emenda …
Adalberto Moscal on O Santander não se emenda …
Robson Pereira on O Santander não se emenda …
lissandro dauer on O Santander não se emenda …
Mário Sérgio Oliveira on O Santander não se emenda …
ronald william on O Santander não se emenda …
Evandro Sperandio on O Santander não se emenda …
Thiago Soares Correia on O Santander não se emenda …
Gilberto Carmona on O Santander não se emenda …
Henrique P. P. on O Santander não se emenda …
Cinthia Rangel on O Santander não se emenda …
Raimundo Almeida Júnior on A Avianca é a nova parceira Smiles?
luiz paulo alencar on As Viagens Inusitadas da Minha Vida
Afonso De Oliveira Barros on As Viagens Inusitadas da Minha Vida
Quero Viajar na Faixa on As Viagens Inusitadas da Minha Vida
Raimundo Almeida Júnior on Accor amplia o portfólio de hotéis do grupo
Raimundo Almeida Júnior on Smiles: Viaje Fácil com 75% de desconto
Deyvisson F. R. Almeida on Como a COVID-19 afetou suas viagens?
Raimundo Almeida Júnior on Como a COVID-19 afetou suas viagens?
Raimundo Almeida Júnior on Como a COVID-19 afetou suas viagens?
Guilherme Marchese on Como a COVID-19 afetou suas viagens?
Guilherme Marchese on Como a COVID-19 afetou suas viagens?
Deyvisson F. R. Almeida on Como a COVID-19 afetou suas viagens?
Deyvisson F. R. Almeida on Como a COVID-19 afetou suas viagens?
Raimundo Almeida Júnior on Qatar Airways sem primeira classe até 2021
Raimundo Almeida Júnior on Qatar Airways sem primeira classe até 2021
Marry manuelli paes de farias on Reserva Cool orienta clientes a pedir chargeback
Vanessa de Carvalho Dias on Como a pandemia afetou minhas viagens
Vanessa de Carvalho Dias on Como a pandemia afetou minhas viagens
Deyvisson F. R. Almeida on Como a pandemia afetou minhas viagens
Paulo André Metchko on Itaucard Pão de Açúcar Platinum
Tiago Luiz Martins S Costa on Reserva Cool orienta clientes a pedir chargeback
Luiz Henrique Moraes Barros Ca on Problemas com os cartões Santander AAdvantage
Leonardo Tito Preza Figueiró on Problemas com os cartões Santander AAdvantage
Leandro Esteves on E agora, clientes LATAM Pass?
Ronaldo Azevedo on E agora, clientes LATAM Pass?
Ronaldo Azevedo on E agora, clientes LATAM Pass?
Rodrigo Guimaraes on E agora, clientes LATAM Pass?
Luis Ghivelder on E agora, clientes LATAM Pass?
Rodolfo França on E agora, clientes LATAM Pass?
André Ferreira on E agora, clientes LATAM Pass?
Gustavo Botelho on E agora, clientes LATAM Pass?
Gustavo Botelho on E agora, clientes LATAM Pass?
Beatriz Roland on E agora, clientes LATAM Pass?
Renan Augusto Arboleda on E agora, clientes LATAM Pass?
Raimundo Almeida Júnior on Smiles: 70% de desconto na compra de milhas
Denilson Vargas Lima Junior on Os recentes erros de pesquisa no site do Smiles
Thiago Soares Correia on LATAM Pass atualiza o seu programa
Mauricio Laukenickas on LATAM Pass atualiza o seu programa
Leonardo Tito Preza Figueiró on Itaucard Pão de Açúcar Platinum
Antagonista Caratinguense on Itaucard Pão de Açúcar Platinum
Renan Augusto Arboleda on Itaucard Pão de Açúcar Platinum
Antonio Carlos Oliveira Junior on GOL: um voo diferente na ponte aérea
Renan Augusto Arboleda on GOL: um voo diferente na ponte aérea
Eduardo Caldeira Meira on GOL: um voo diferente na ponte aérea
Ricardo Baccarelli Carvalho on GOL oferece milhas bônus em atraso de voo
Esron Anibal Freitas da Rosa on O programa Accor Live Limitless está no ar
Esron Anibal Freitas da Rosa on O programa Accor Live Limitless está no ar
Felipe on